12/01/2010

Top 8 Bandas que poderiam acabar

Antes que seja tarde demais.

1 Travis - O Travis teve seu grande momento na virada do século, depois de um bom disco de estréia e do ótimo The Man Who, que continha as melodias mais bonitas de 1999. Depois veio a queda. Invisible Band é bom, mas cansa. 12 Memories e Boy With no Name alternam grandes músicas com outras desprezíveis. E o último, Songs for J. Smith é absolutamente desprezível. Não há perspectiva para o futuro.

2 Foo Fighters - Dizem que a banda está realmente parada. E fazem bem. Depois de três discos muito bons, a banda pouco fez no novo século. Bons singles no geral, e discos inconsistentes. Sendo o último o pior de todos. Parece que Dave Ghrol cansou da banda, e agora os projetos paralelos são mais interessantes.

3 Jet - O disco de estréia é excepcional. O segundo é mais ou menos e o último é vergonhoso. O Jet devia acabar pra não passar mais vergonha.

4 Teenage Fanclub - Difícil contestar a história da banda. Lançaram quatros bons discos nos anos 90, e dois deles (Bandwagonesque e Grand Prix) são geniais. O último, Man Made é irrelevante. Já são cinco anos sem lançamento, e o próximo disco (que dizem que saí esse ano) é a última chance dos escoceses mostrarem que ainda podem fazer bons trabalhos.

5 Red Hot Chili Peppers - Os bons trabalhos estão espalhados ao longo das decadas e perdidos nos longos períodos entre os lançamentos (5 nos últimos 20 anos). A banda adotou uma linha de som mais madura que não combina com o nome. E com a saída de John Frusciante, era a hora de realmente parar.

6 The Strokes - A magia acabou assim que o segundo disco foi lançado. Eles ainda podem se arrastar ao longo dos anos com a expectativa de voltar a fazer algo marcante. Mas eu duvido.

7 The Vines - O The Vines nunca chegou a ter um grande disco. Mas houve uma época em que eles conseguiam lançar uma meia dúzia de boas canções em um disco. Esse tempo passou, e a loucura do vocalista Craig Nicholls passou dos limites.

8 Supergrass - O Supergrass ainda parece capaz de lançar alguma coisa realmente boa (o que não acontece desde 1997) e os últimos dois discos são até bons. Mas é difícil pensar neles como uma banda madura, ou de tiozões.

Nenhum comentário: