15/01/2010

Reconstrução

Luciano Hulk "copiou" por assim dizer, duas idéias de programas internacionais. Reformar carros e casas de pessoas. Em um caso, o resultado é bom e no outro é péssimo.

O Lata Velha é o Overhaulin brasileiro. Pega o carro velho de alguém e o deixa novo. Existem diferenças no formato, é claro. O Overhaulin esconde a reforma do seu dono e faz ele acreditar que o carro foi roubado, apreendido. O Lata Velha costuma a escolher carros de pessoas mais humildes.

Mas o resultado é ruim. Os carros ficam feios e monstruosos. Imagino que fiquei difícil para os beneficiados manter o carro depois. Carros com TV de Plasma, pintados de laranja, roxo, fosforescências. Fora as tunadas, as labaredas, a tinta com textura. O Overhaulin faz algo mais sóbrio.

Mas o que me motivou a escrever foi o outro caso. O "Lar Doce Lar" se inspirou no Extreme Makeover, provavelmente. E estava a pouco vendo o episódio do Extreme Makeover. É uma bobagem. Já não bastasse o apresentador, Ty ser um ser incrivelmente chato. Daqueles chatos irritantes. Daqueles que você acha que mereceria apanhar de tão chato.

O LDL (por assim abreviar) costuma a respeitar o espaço da casa, faz algo dentro do padrão da família que vive lá, e tenta de alguma maneira devolver a dignidade àqueles que lá vivem.

Já o Extreme Makeover... ok, eles também ajudam alguém que precisaria ser ajudado. Mas no geral, as pessoas têm uma boa casa e precisam de... uma rampa de acesso, carpetes antialérgicos ou o que seja. Mas são boas casas. Grandes e espaçosas. E eles destroem tudo. Põe abaixo e constroem uma mansão faraônica. Daquelas que para se manter você precisaria viver numa novela do Manoel Carlos, em que famílias sempre tem quatro, cinco empregados.

É muito gasto pra esse mundo.

Nenhum comentário: