21/11/2010

Tropa de Elite 2

Não vê que é sua vida que se encerra numa nota fria nos jornais

Assisti ontem a "Tropa de Elite 2". E assim que os letreiros começaram a subir, ao som de "O Calibre" dos Paralamas do Sucesso, a vontade era de ver o filme de novo. Há um bom tempo que eu não saia do cinema tão empolgado com um filme, desde Gran Torino, acho eu.

Ha violência, há crueldade, há ação, frases de efeito e a atuação sensacional de Wagner Moura. Mas por trás disso, o filme e sua narração em off (as vezes exagerada), é quase um guia sobre o Sistema. Essa coisa tão abstrata, mas que existe, que mantem mesmos grupos sempre no poder e que engole quem tenta enfrentá-lo. Um filme que cai bem na época de eleições. E soa irônico, que tantas pessoas que aplaudem o Capitão Nascimento dando uma surra num deputado, que muitas dessas pessoas ajudam a colocar outros iguais lá.

Mas o filme é frustrante. Porque ele se parece com a vida real (muitos jornalistas vão sentir culpa em um certo trecho). E por mais que haja uma pequena noção de justiça, tudo permanece sempre igual. Porque como diz o Capitão Nascimento: o sistema é foda.

Nenhum comentário: