21/11/2010

Três

Textos que fiz para minha namorada. Nesses três anos em que estamos juntos.

"Será que um dia me lembrarei onde eu estava nos primeiros dias de 2008? Eu diria que minha vida é um jardim, com apenas uma flor, mas que eu amo tanto, que parece que eu tenho várias. Primavera. Mas eu não diria que estava do seu lado, eu mentiria se falasse que estava. Estamos longe, estou tão longe da minha mente".

"Eu sempre tive uma blusa vermelha de frio. Não que eu a chame assim, mas eu sempre tive no meu armário uma camiseta vermelha de mangas compridas, que então, só serve para ser usada no frio. Vermelha. Um dia você me fala que a cor dela lembra laranja com acerola. Mas ela sempre foi vermelha. De noite eu vou escovar os dentes e vejo: realmente ela nunca foi vermelha. Você mudou a cor das minhas roupas. E eu nunca estive com uma camiseta vermelha no frio. Passei todos esses anos enganado pelos meus olhos, que viam vermelho ao invés de algo entre laranja com acerola".

"Um dia ainda te levo a um jardim com flores e coisas bonitas, ou uma esquina sem cor, ou qualquer lugar que me lembre a você. Com um sol bonito, um céu sem nuvens, ou com nuvens se você preferir. Te vejo no cinema, com você na tela, no filme que eu vou assistir eternamente. Te imagino no meu sonho, aquele sonho bonito que eu te contei. Eu, você, o guarda-chuva, a chuva o mundo e nada mais. Te levo por uma rua, aquela, uma dessas todas ruas que me lembram você. Não há lugar em que você não esteja".

"Creio que todo mundo espera um dia encontrar o amor. E que seja um amor poético, inspirado. Que se possa enxergar a poesia em qualquer movimento do dia-a-dia. Que seja euforia. Um amor sem brigas, ou que depois das breves brigas, cresça ainda mais. Um amor que renasce e se renova fortemente a cada dia. Como uma flor que brota em rachaduras. Que não se pergunte o porque. Que não haja dúvidas sobre a euforia, a poesia. Um amor que não exija significados".

"Eu sei que existe um lugar em que nós poderíamos deitar nossas cabeças e esperar pelas estrelas. Em que nós não teríamos tempo para acordar e poderíamos fazer nossas vidas na cama. Eu sei que está lá o lugar onde nós não temos nada para entender, além das linhas que mantém as nossas mãos juntas. E então nos acharemos, e quando nos acharmos, eu só espero que nós tenhamos sorte o suficiente, você sabe. Eu sei que existe uma boa vida, atrás do arco-íris, na curva do céu, ao seu lado, com olhos perdidos. A sorte, você sabe, para ainda termos tempo para nós".

Nenhum comentário: