05/03/2015

Eu não queria ser Jakob Dylan

Eu não queria ser Jakob Dylan. Existem diversos motivos para não se querer ser Jakob Dylan. Não deve ser fácil ser filho do Bob Dylan.

Não deve ser fácil porque as mais diversas fontes informam que o velho Bob não é das pessoas mais fáceis do mundo. Difícil saber se ele foi um pai presente ou não, mas é fato que escreveu Forever Young para Jakob, o que já não deixa de ser interessante. Mas se a história de Bob já é fascinante, com suas conversões e indas e vindas, acompanhar isso dentro de casa deve ser estranho.

Mas ainda pior é ser filho de Bob Dylan e virar músico. Porque jamais haverá outro músico como Bob Dylan e a pressão deve ser terrível

Sim, ser filho de Bob Dylan tem lá sua vantagem, de chamar a atenção da indústria. Um disco do filho do Bob Dylan por si só já é um acontecimento e desperta interesse, mesmo se o disco for uma porcaria. Mas, mesmo se for bom, muita gente jamais vai reconhecer méritos e ver apenas o nome como motivo para o interesse.

Acontece isso com os filhos do John Lennon, com o filho do George Harrison e com poucos outros filhos de músicos que podem ser comparados com Bob Dylan e resolveram seguir carreira musical. Mas nenhum é tão difícil como Bob. Sim, Lennon fez mais sucesso, mas a força de Lennon sempre esteve em sua interpretação, mesmo com boas letras. Dylan além da música, tem a letra. Poucos, isso se nenhum, artistas da história uniram tão bem poesia e melodia na história da música.

Jakob não poderia ter apenas boas músicas. Sempre seria preciso analisar suas letras, comparar sua escrita com a do seu pai e essa comparação é injusta. O Dylan filho sempre tenta. Suas letras tentam partir para construções incomuns, tentando mostrar que ele também tem capacidade de se inspirar em Rimbaud. Mas, é impossível igualar o pai, como eu disse, a comparação é injusta. Mas Jakob é um bom letrista.

Justiça seja feita, nenhum outro filho de cantor famoso conseguiu o que Jakob conseguiu. Os seus Wallflowers são uma banda sem muita alma, de formação dispersa, centrada apenas em seu vocalista/guitarrista/tecladista/compositor. Nenhum filho de Beatles conseguiu um disco da qualidade de seu Bringing Down the Horses, muito menos do sucesso.

Jakob tem em seu currículo algumas grandes músicas como Invisible City, Beautiful Side of Somewhere e One Headlight. Uma porção de canções sem sal, mas ele tem lá seu brilho.

Mas eu não queria ser ele.

Nenhum comentário: