01/02/2015

Sapos da caverna

De vez em quando aparecem uns putas sapos aqui em casa. Criaturas tão imensas que acredito até que sejam pré-históricas. Sapos que descendem diretamente dos dinossauros. Criaturas tão imensas e mal encaradas, que até o mais viril dos homens sente algum temor quando percebe que ele está no meio do seu caminho.

Sempre que vejo esses sapos, com cara de Astolfo, me pergunto de onde eles surgiram. Olho o terreno aqui de casa e ele é todo murado, sem nenhum buraco nesse muro. Temos dois portões com frestas inferiores, mas logicamente frestas em que um bicho daquele tamanho não conseguiria ultrapassar.

A hipótese mais lógica, é que os anfíbios chegam por aqui quando tem um tamanho menor, então crescem e evoluem até se transformar nessas criaturas parrudas.

Ok. Mas Lavosier e todos nós sabemos que na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Para esse sapo chegar nesse tamanho ele teve que ter alguma fonte de alimento. Dizem que eles se alimentam de insetos. Será que temos tantos insetos por aqui? Suficientes para deixar esses bichos tão bem nutridos? Se ele come tantos insetos assim, porque é que tantos mosquitos seguem me picando de noite?

Alguma coisa não fecha nesse ciclo.

Nenhum comentário: